O ator e humorista Batoré morre em São Paulo

O ator e humorista Ivanildo Gomes Nogueira, de 61 anos, conhecido como Batoré, morreu nesta segunda-feira (10), em São Paulo. Ele estava com câncer. Batoré morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Pirituba, Zona Norte da capital. "As informações médicas foram repassadas à família e a Secretaria Municipal de Saúde lamenta o ocorrido", diz nota da Prefeitura. Ivanildo nasceu em Serra Talhada, em Pernambuco, e se mudou para São Paulo ainda criança. Antes de se tornar ator, jogou futebol nas categorias de base em times paulistas. Com seu principal personagem, Batoré, Ivanildo integrou o elenco do programa " A Praça é Nossa ", do SBT. Em 2016, foi contratado pela Rede Globo para a novela "Velho Chico" em que fez o papel do delegado Queiroz. Batoré também foi vereador de Mauá, na Grande São Paulo, por dois mandatos pelo PP. Fonte: Batoré, ator e humorista, morre em SP | São Paulo | G1

Reinaldo

As provas gritam: de mamando a caducando a família Bolsonaro é corrupta, diz Vanessa Grazziotin

O Globo traz matéria sobre o imbróglio de 'lavagem de dinheiro' envolvendo a família do Presidente da República. O filho Zero Hum aparece mal na fita e cada vez mais enrolado no emaranhado da rachadinha, inquérito conduzido pelo MP-RJ.

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) disse em depoimento ao Ministério Público do Rio (MP-RJ), no âmbito da investigação da “rachadinha”, que não se recorda de ter feito pagamento em espécie durante a aquisição de dois apartamentos em Copacabana, em 2012. Os promotores descobriram que, no mesmo dia em que a compra foi registrada em cartório, por R$ 310 mil, o vendedor dos imóveis efetuou ainda um depósito de R$ 638 mil em dinheiro vivo em um banco que fica a uma rua do cartório onde foi lavrada a escritura. 
Para o MP-RJ, a venda foi registrada abaixo dos valores negociados, e o pagamento em espécie foi feito no momento da escritura e com dinheiro oriundo do esquema das rachadinhas.
Fonte:Flávio Bolsonaro diz não lembrar de pagamento em espécie por apartamento no Rio - Jornal O Globo


Nos últimos dias o Brasil têm sido inundado com novas revelações e informações acerca dos desvios de recursos por parte da família Bolsonaro. Sobretudo por parte do presidente da República, Jair Bolsonaro e de seus três filhos: Eduardo, Flávio e Carlos Bolsonaro, que inclusive são três parlamentares. Um vereador do Rio de Janeiro, um deputado federal e um senador da República. 
Pois bem, é de conhecimento público já há algum tempo, essa possível prática de rachadinha, praticada por toda a família. Ou seja, recursos desviados de servidores públicos em benefício próprio, o que significa dizer: corrupção. 
Um dos fatos diz respeito ao recebimento de uma parcela de recursos por parte da primeira dama, Michele Bolsonaro. O Brasil sabia que a primeira dama havia recebido do Queiroz um cheque de R$24 mil. 
Inclusive, vale lembrar que o Queiroz é aquele que, após ser encontrado, está atualmente em prisão domiciliar e que cuja esposa, que também era foragida da justiça, também está em prisão domiciliar para cuidar do marido por conta da covid-19.
Fonte:Coluna | As provas gritam: a família Bolsonaro é | Brasil de Fato

Comentários

Questão