Secretários de Saúde veem fracasso de Bolsonaro e Pazuello e também querem impeachment

Secretários estaduais de Saúde consideram que sucessivos vexames de Bolsonaro e Pazuello com as vacinas levaram a situação ao limite do suportável. Alguns gestores já apoiam pedido de impeachment do ocupante do Planalto.  Secretários de Saúde dizem ter chegado ao limite a paciência com o ministro Eduardo Pazuello e Jair Bolsonaro. Alguns falam que o único caminho daqui para frente é um pedido de impeachment do presidente.  Os gestores estaduais de Saúde não receberam nenhuma comunicação sobre o cancelamento da ida do avião brasileiro à Índia, após o fracasso das negociações feitas pelo próprio presidente com o governo indiano. Os secretários se queixam ainda de que não foram avisados sobre mudança no calendário de vacinação e veem o episódio como um vexame e um fracasso nacional.  Segundo o Painel da Folha de S.Paulo , gestores estaduais afirmam que o governo e o ministério estão completamente perdidos. Alguns deles só veem como solução para a tragédia sanitária o impeachment do presid

Reinaldo

O Brasileirão em qualquer série prima pelo equilíbrio entre as equipes e os goianos estão vacilando muito

Um tropeço aqui, outro acolá e quase sempre ouvimos 'ainda faltam muitos jogos'. A cada rodada que passa é uma partida a menos para contabilizar os pontos necessários para atingir os objetivos traçados no final da competição.
O Atlético faz a melhor campanha entre os times do estado, é frequentador assíduo do G4 e tem sido apontado como um dos possíveis candidatos ao acesso, mas a boa campanha no primeiro turno da série B não esconde os tropeços do Dragão jogando em seus domínios. Ao final das 38 rodadas, os pontos perdidos dentro do estádio Antônio Acioly poderão fazer falta para o rubronegro ascender mais uma vez de divisão.
Em relação ao Vila Nova o desaforo de perder oportunidades de somar os três pontos tem se tornado algo rotineiro, o Colorado não consegue emplacar uma sequência de vitórias e a cada rodada que passa, o torcedor vê a zona de rebaixamento cada vez mais próxima. Sem apresentar um bom futebol e conhecendo os dissabores de derrotas ou empates a queda de divisão pode ser inevitável no final da competição.
O Goiás não escondeu de ninguém qual era o seu objetivo na Série A de 2019, até permitiu que o torcedor sonhasse com um algo mais pelo início que foi considerado surpreendente. Depois da parada para Copa América o time parece ter sofrido um apagão e o que era visto como uma boa campanha passou a ser entendida como sofrida e chegar aos 45 pontos já não parece ser uma tarefa fácil para um clube recém egresso da Série B e que não almeja voltar pra lá em tão pouco tempo. O Esmeraldino que vinha numa vibe muito promissora, der repente estacionou, tomou as maiores goleadas do certame e viu a posição confortável se tornar ameaçada pelo temido Z4.
Perto de encerrar o primeiro turno fora da confusão, o clube projeta ao menos repetir os números alcançados na segunda metade da competição, o que certamente não será garantia de permanência na elite, a queda de rendimento terá que ser superada para que o clube siga entre os 20 melhores do Brasil.

Comentários

Questão