O senador Romário é suspeito de ocultar patrimônio e usar laranjas para escapar das dívidas milionárias

O pagamento de pensões era um grande problema para o senador em seus tempos de fama como jogador, mas hoje em dia isso não deveria ser algo que o incomodasse, pois os filhos estão todos criados e talvez uma ou duas filhas ainda dependam do pai.
O ídolo dos gramados sempre teve sucesso, fez fama e dinheiro. Com o fim da carreira, Romário entrou para política, primeiro se elegeu deputado federal e depois conquistou uma cadeira no Senado da República. A política no Brasil é cercada de desconfianças e os políticos quase na sua totalidade são suspeitos de um tudo.



Leia abaixo a matéria de O Globo e entenda o imbróglio:

Do Jornal O Globo

Marco Grillo e Thiago Prado



Acusado em processos judiciais de transferir bens a terceiros para não pagar dívidas com credores, o senador Romário (Pode-RJ) passou a colocar o próprio advogado como dono de parte do seu patrimônio. Luiz Sérgio de Vasconcelos Júnior, que entre 2017 e 2019 foi funcionário comissionado no Senado, foi autorizado, por meio de documentos…

Davos, Flávio, Coaf... Semana inesquecível para Bolsonaro

Resultado de imagem para bolsonaroPara o bem ou para o mal, o presidente Jair Bolsonaro teve uma semana inesquecível.
Fez sua primeira viagem internacional no cargo, para o Fórum Econômico Mundial, onde foi falar – mas não muito – à elite das finanças globais.
Enquanto isso, no Brasil, se acumularam suspeitas e controvérsias sobre o filho Flávio, senador eleito.
Ao mesmo tempo, o Banco Central propôs retirar parentes de políticos do monitoramento obrigatório – pelo Coaf – sobre movimentações financeiras atípicas.
E, ocupando a presidência interinamente, o general Mourão assinou um decreto polêmico sobre o acesso a informações governamentais.

Davos, Flávio, Coaf... Semana inesquecível para Bolsonaro

Comentários