Estados articulam ofensiva para barrar proposta de parcelamento de precatórios

A perda de prestígio e credibilidade do governo leva o ministério da economia a tentar manobra para não repassar de uma vez os precatórios aos estados, e assim evitar que opositores tenham acesso a verba às vésperas do ano eleitoral. Jair Bolsonaro segue sua ofensiva contra a Democracia, instituições e o sistema de votação, ao tempo em que tenta asfixiar financeiramente possíveis adversários no pleito de 2022. A matéria do Estadão retrata este cenário: Os Estados se mobilizam numa ofensiva no Congresso para evitar o parcelamento dos precatórios devidos pela União, medida defendida pela equipe econômica para garantir a ampliação do programa Bolsa Família no ano que vem. Dos R$ 89 bilhões em dívidas judiciais previstos para o Orçamento de 2022, pelo menos R$ 16,6 bilhões têm governos estaduais como credores. Para os Estados, a PEC dos precatórios e o projeto que altera o Imposto de Renda são duas frentes lançadas pelo governo federal que fragilizam as contas dos governos regionais, com p

Reinaldo

Presidente de clube é suspenso por ameaça de morte feita a árbitro

O presidente da equipe da Associação Atlética Anapolina, Paulo Neli, foi suspenso do clube, em caráter preventivo, por atitude antidesportiva cometida na partida entre a Anapolina e a Associação Atlética Aparecidense, realizada na terça-feira (31), no estádio Jonas Ferreira Duarte, pelo Campeonato Goiano de Futebol Profissional. 

A decisão foi proferida pelo presidente do Tribunal de Justiça Desportiva de Goiás (TJD-GO), Hallan Rocha. A atitude do dirigente foi denuncioada por um dos árbitros da partida que o acusou de proferir palavras de baixo calão e uma suposta ameaça de morte direcionadas a ele, após o término do primeiro tempo do jogo. 

“O dirigente denunciado quebrou alguns princípios norteadores da prática saudável do desporto, ferindo não só a disciplina, mas também, em tese, cometeu atitude ilícita, e, acima de tudo, causando repulsa e indignação aos espectadores, torcedores e à comunidade futebolística em geral”, destaca Hallan. De acordo com o presidente do TJD-GO, a medida de suspensão terá um efeito inibidor e preventivo para evitar novo ato de hostilidade entre todos os participantes da competição, bem como caráter pedagógico. 

A suspensão foi fixada em 30 dias e será objeto de apuração própria, observando os princípios do devido processo legal, do contraditório e da mais ampla defesa.
Por Dr João Camargo Neto

Comentários

Questão