Juliette não esperava repercussão mas se divertiu com o pedido de tradução do Pokemón da Nintendo

Juliette colocou um ponto final no mistério e divulgou em Live no Instagram nesta quinta-feira (3) as datas e as cidades que devem receber os primeiros cinco shows de sua turnê, 'Caminhos' . As cidades escolhidas são do Nordeste e Sudeste do país, e já acontecem ainda neste de março. O local escolhido para o primeiro show, aquele que marca a estréia dela nos palcos acontece na cidade em que reside, o Rio de Janeiro, no dia 26 deste mês. João Pessoa, capital do estado natal de Juliette, Paraíba, também faz parte da rota da turnê no início de abril. Vitória, no Espírito Santo, e Recife, também terão shows da cantora. Muito se perguntou nas redes sociais após a divulgação sobre Campina Grande, apesar de Juliette não ter falado sobre isso, acreditamos que a Pitica deve estar reservando a cidade e o Parque do Povo para realizar o sonho de cantar no maior São João do mundo em Junho. Nas redes sociais, a paraibana celebrou o novo desafio, e convidou os fãs a conhecerem este “novo cami

Reinaldo

A despesa da Prefeitura de Goiânia com a Comurg chama atenção. É metade do Orçamento

A segunda audiência pública sobre o Orçamento Anual de 2017 foi realizada na manhã de hoje (11) pela relatora do projeto Cristina Lopes (PSDB). Ela apontou como principal preocupação para a próxima administração a disparidade da despesa da Comurg em relação aos demais órgãos da Prefeitura. “Hoje o custo total só da Comurg é de R$ 450 milhões quando todos os demais órgãos são responsáveis por R$ 522 milhões da despesa. A isso ainda se somam mais de 91 milhões para aluguel de caminhões, equipamentos e máquinas para a companhia, a Seinfra e a Semob”, ressaltou sugerindo que há excesso de funcionários naquele órgão enquanto há falta de pessoal em outros, o que poderia haver um remanejamento.
botaA despesa total com pagamento de pessoal da Prefeitura, no entanto, está prevista para encerrar o ano em 44,14%, abaixo do limite prudencial, segundo afirmou o Superintendente de Planejamento Governamental da Secretaria de Finanças (Sefin) da Prefeitura, Eduardo Scarpa. Ele ressaltou que medidas de austeridade da pasta possibilitaram queda real das despesas em 2,47% durante este ano e que para o próximo ano, a Prefeitura estará em equilíbrio.
O vereador Paulinho Graus (PDT), que prestigiou a reunião, mostrou-se preocupado com a situação dos gastos com a Comurg, que sozinha detém quase metade do orçamento municipal. Mas também destacou que o poder Legislativo, cuja previsão é de R$ 112 milhões (7,13%) de despesa precisa economizar. Cristina corrigiu afirmando que a Casa, nos últimos anos, tem devolvido restos do duodécimo, porém, precisa haver uma forma de carimbar essa devolução.”Queremos garantir que esse dinheiro devolvido pela Câmara ao erário público seja destinado à emendas que os os vereadores apresentarem”, propôs.
Representantes da sociedade civil também acompanharam os trabalhos e fizeram algumas considerações. Marcelo Conrado, do Instituto Cidadão Consciente e Participativo propôs que a lei de destinação dos resíduos sólidos para grandes usuários seja revista,uma vez que fere ao princípio da isonomia. Outra sugestão é de que os recursos das multas por infração de trânsito no município sejam destinados à educação, pois só a fiscalização não está sendo capaz de coibir problemas e acidentes na capital.
Ainda representando a sociedade civil, Eduardo Matos, do Movimento Nacional da População de Rua solicitou que seja priorizado o Plano de Ação aprovado este ano e as reivindicações feitas por esses moradores, os cidadãos mais vulneráveis. “Na área de assistência social os investimentos foram muito aquém à necessidade. Está prevista a construção de três albergues, banheiros públicos, cursos profissionalizantes”, citou adicionando que “a ausência de políticas públicas contribui para o aumento desses moradores na rua e não pode haver cortes para essas ações porque podem trazer o retrocesso”.
Até o momento foram apresentadas 13 emendas. Cristina Lopes apresentou 12 propostas de melhorias em escolas, unidades de saúde, praças e pavimentação de ruas. O vereador Carlos Soares (PT) apresentou uma emenda que propõe a reconstrução de 16 CMEI's feitos com placas por um projeto em alvenaria. Os parlamentares têm até semana que vem para apresentar emendas, destacando que necessitam de ser apontadas a dotação dos recursos para implementação das mesmas.

Comentários

Questão