O ator e humorista Batoré morre em São Paulo

O ator e humorista Ivanildo Gomes Nogueira, de 61 anos, conhecido como Batoré, morreu nesta segunda-feira (10), em São Paulo. Ele estava com câncer. Batoré morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Pirituba, Zona Norte da capital. "As informações médicas foram repassadas à família e a Secretaria Municipal de Saúde lamenta o ocorrido", diz nota da Prefeitura. Ivanildo nasceu em Serra Talhada, em Pernambuco, e se mudou para São Paulo ainda criança. Antes de se tornar ator, jogou futebol nas categorias de base em times paulistas. Com seu principal personagem, Batoré, Ivanildo integrou o elenco do programa " A Praça é Nossa ", do SBT. Em 2016, foi contratado pela Rede Globo para a novela "Velho Chico" em que fez o papel do delegado Queiroz. Batoré também foi vereador de Mauá, na Grande São Paulo, por dois mandatos pelo PP. Fonte: Batoré, ator e humorista, morre em SP | São Paulo | G1

Reinaldo

Jornal demorou para noticiar a crise econômica, avaliam colunistas

A Folha, assim como os demais jornais, demoraram para noticiar a crise econômica brasileira. A avaliação é dos colunistas Vinicius Torres Freire e Alexandre Schwartsman. 
 Em debate ao vivo, realizado nesta segunda-feira (15), os colunistas avaliaram a cobertura econômica do jornal e apontaram para um futuro ainda mais difícil, com mais desemprego.

"Os jornais deveriam ter sido pessimistas antes", diz Torres Freire. 
Para ele, em 2013, a confiança do consumidor já estava em queda e o preço dos alimentos em alta. "A inflação puxada pelo preço do tomate virou piada", aponta o colunista.

Schwartsman lembra que os consumidores perceberam a crise antes, pois o desemprego ficou mais próximo e o preço dos alimentos ficaram mais salgados –obrigando boa parte da população a substituir produtos ou evitar a compra de alguns deles.

"Na minha época no Banco Central, achava vocês pessimistas", pondera o colunista que foi diretor de assuntos internacionais do BC durante o governo Lula.

Comentários

Questão