Fórmula 1 ou Fórmula Mercedes? Hamilton vence GP da Estíria e fica a seis vitórias de igualar Schumacher

Vivemos uma época em que a velocidade das informações são tão rápidas e avassaladoras quanto uma tomada de tempo para a largada de um Grande Prêmio. Muitos jovens nem se lembram da grandeza de lendas que passaram pelo paddock e escreveram nas pistas seus nomes na história do automobilismo mundial. Falar de Juan Manuel Fangio, Emerson Fittipaldi, Niki Lauda, Alan Prost ou Nelson Piquet então, seria para muita gente algo de outro mundo. Ayrton Senna ocupa um lugar especial no coração dos aficionados por Fórmula 1, mas em termos de números é Michael Schumacher o maior de todos, seguido bem de perto pelo britânico Lewis Hamilton. É a frieza dos números, e dizem por ai que eles não mentem jamais, que pode colocar o atual piloto da Mercedes no topo da lista dos melhores de todos os tempos. O ano de 2020 é atípico, pode atrasar a quebra dos recordes de Shumi, mas não há dúvidas que Hamilton vai pulverizar todas as marcas da F1 nos próximos dois anos. Com a Mercedes absoluta nas pistas, Lewis Ha…

Queda do River lembra Goiás @Reinaldo_Cruz @fintaseribles @Soccer_Brasil @Copaflavios @Copa_aespl #ASBUG @Questao_Brasil

Mas nenhum deles fez o time jogar bem. Tudo neta queda nos rete a trajetória esmeraldina que caminha a passos largos para a terceira divisão do brasileiro. Desde que ganhou seu último título nacional, em 2008, o River entrou num caminho sem volta rumo ao rebaixamento. Vendeu seus principais atletas (ainda que alguns continuassem no clube), endividou-se e contratou mal. As dívidas do clube somam R$ 35 milhões. Pouco se comparado ao futebol brasileiro (o Flamengo deve dez vezes mais), mas um valor quase impagável para padrões argentinos. Jovens talentos, como o meia Erik Lamela, 19, e o atacante Funes Mori, 20, estão nas mãos, respectivamente, dos agentes Pini Zahavi e Kia Joorabchian. O último presidente do River, José Maria Aguilar, e o atual, Daniel Passarella, trocaram acusações nos últimos dias. Mídia e torcida dividem igualmente a culpa entre os dois. O time teve cinco técnicos nos últimos três anos: Diego Simeone, Nestor Gorosito, Leonardo Astrada, Angel Cappa e Juan José Lopez, o atual. À exceção de Cappa, ex-jogadores com títulos pelo clube. Mas nenhum deles fez o time jogar bem. Tudo neta queda nos rete a trajetória esmeraldina que caminha a passos largos para a terceira divisão do brasileiro.

Comentários