Comparsas do miliciano Adriano da Nóbrega recorreram a Jair Bolsonaro, diz The Intercept

Ligações perigosas apontam para relações estreitas entre comparsas do miliciano Adriano da Nóbrega e o Presidente da República, a matéria intitulada o "O cara da casa de vidro" traz dados que levantam suspeitas sobre Jair Bolsonaro.   O Intercept já havia reportado sobre as escutas em fevereiro, quando mostramos como Adriano dizia que “se fodia” por ser amigo do presidente da República, e em março, quando detalhamos a briga pelo espólio deixado pelo ex-caveira. As referências a “Jair” e “cara da casa de vidro” constam em novos documentos recebidos pela reportagem, que, em conjunto com as escutas anteriores, permitem entender a amplitude das relações do miliciano e da rede que lhe deu apoio no período em que passou foragido. Adriano da Nóbrega fugia da justiça desde janeiro de 2019, quando o Ministério Público do Rio pediu a sua prisão, acusando-o de chefiar a milícia Escritório do Crime, especializada em assassinatos por encomenda. Ex-integrante da elite do batalhão de elite

Reinaldo

'Entendeu errado', diz Flávio Bolsonaro sobre Paulo Marinho em caso de vazamento de informações da PF

Flávio Bolsonaro, senador e filho do presidente, prestou depoimento ao Ministério Público Federal no dia 7 de julho sobre o caso de suspeita de vazamento de informações da Operação Furna da Onça da Polícia Federal. Ele é investigado por um suposto esquema de 'rachadinhas' em seu gabinete da Alerj e, segundo Paulo Marinho, teria recebido informações sobre as investigações. Videos do depoimento de Flávio foram obtidos pela repórter Camila Bomfim, da Globo. O senador ainda não se manifestou.
A jornalista da Globo teceu no Twitter alguns comentários pontuais sobre o depoimento:

Camila Bonfim: "No depoimento, gravado em vídeo, o senador Flávio Bolsonaro se irrita quando instado a ver o depoimento em vídeo de Paulo Marinho. “Vou ter que ficar ouvindo isso aqui cinco horas não vou aguentar com todo o respeito doutor”, diz ao procurador do MPF-RJ".

Camila Bonfim: "Flávio admite ter procurado o empresário Paulo Marinho pra conseguir um adv após as repercussões em torno de Queiroz, seu ex-assessor: “a imprensa atirando pedra em mim, eu tinha que me defender, eu tinha que buscar”

Camila Bonfim: “Entendeu errado” . Sobre a acusação de Paulo Marinho, de que Flávio soube antes da Operação Furna da Onça: “Ele certamente ouviu uma coisa e entendeu errado....
Nunca ouvi de reunião que aconteceu na porta da Polícia Federal pra isso”
Fonte:'Entendeu errado', diz Flávio Bolsonaro de Paulo Marinho em caso de vazamento de informações / Twitter

Comentários

Questão