Comparsas do miliciano Adriano da Nóbrega recorreram a Jair Bolsonaro, diz The Intercept

Ligações perigosas apontam para relações estreitas entre comparsas do miliciano Adriano da Nóbrega e o Presidente da República, a matéria intitulada o "O cara da casa de vidro" traz dados que levantam suspeitas sobre Jair Bolsonaro.   O Intercept já havia reportado sobre as escutas em fevereiro, quando mostramos como Adriano dizia que “se fodia” por ser amigo do presidente da República, e em março, quando detalhamos a briga pelo espólio deixado pelo ex-caveira. As referências a “Jair” e “cara da casa de vidro” constam em novos documentos recebidos pela reportagem, que, em conjunto com as escutas anteriores, permitem entender a amplitude das relações do miliciano e da rede que lhe deu apoio no período em que passou foragido. Adriano da Nóbrega fugia da justiça desde janeiro de 2019, quando o Ministério Público do Rio pediu a sua prisão, acusando-o de chefiar a milícia Escritório do Crime, especializada em assassinatos por encomenda. Ex-integrante da elite do batalhão de elite

Reinaldo

Judas é Moro ou Bolsonaro?

Com sua obsessão em construir inimigos, obedecendo ditames do gabinete do ódio do trio Nota Zero, 01, 02, 03 e agora a participação especial do 04, o presidente Jair Bolsonaro chamou seu ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, , que depôs neste sábado, à tarde, na PF de Curitiba, a respeito de acusações que lhe fez, de "Judas".

Insinuou que o ex-juiz está nos bastidores da decisão do juiz de Juiz de Fora que considerou Adélio Bispo, que o esfaqueara na campanha, inimputável por este não ter mandado o ex-diretor geral da PF investigar os telefones de advogados do cara. 

Ora, a decisão do juiz foi tomada porque o advogado da vítima, ele,  perdeu o prazo de apresentar óbices à sentença. E a PF foi proibida de periciar os telefones do advogado porque foi proibida pela Justiça, que até hoje mantém a proibição. 

Relacionei as traições do chefe do governo, entre as quais sancionar o juiz de garantias, sugestão de Alexandre de Moraes, do STF, que o gabinete do ódio agora crucifica. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.


Comentários

Questão