Estados articulam ofensiva para barrar proposta de parcelamento de precatórios

A perda de prestígio e credibilidade do governo leva o ministério da economia a tentar manobra para não repassar de uma vez os precatórios aos estados, e assim evitar que opositores tenham acesso a verba às vésperas do ano eleitoral. Jair Bolsonaro segue sua ofensiva contra a Democracia, instituições e o sistema de votação, ao tempo em que tenta asfixiar financeiramente possíveis adversários no pleito de 2022. A matéria do Estadão retrata este cenário: Os Estados se mobilizam numa ofensiva no Congresso para evitar o parcelamento dos precatórios devidos pela União, medida defendida pela equipe econômica para garantir a ampliação do programa Bolsa Família no ano que vem. Dos R$ 89 bilhões em dívidas judiciais previstos para o Orçamento de 2022, pelo menos R$ 16,6 bilhões têm governos estaduais como credores. Para os Estados, a PEC dos precatórios e o projeto que altera o Imposto de Renda são duas frentes lançadas pelo governo federal que fragilizam as contas dos governos regionais, com p

Reinaldo

Em uma das cenas mais constrangedoras de 2020, Bolsonaro, Guedes e empresários vão ao STF pressionar por retomada da economia

Em um encontro marcado na última hora, o presidente, um grupo de ministros e alguns empresários foram até o Supremo Tribunal Federal para falar sobre a economia do país com Dias Toffoli, presidente da Corte. 

Imagem
Enquanto a comitiva de Bolsonaro pediu que a 'roda da economia volte a girar', Toffoli disse que é necessário diálogo com estados e municípios. 
A reunião ocorre um dia após o ministro da Saúde afirmar que cogita um 'lockdown' em mais locais para conter a transmissão do coronavírus.
Fonte:Bolsonaro, Guedes e empresários pedem retomada da economia ao Supremo / Twitter

Comentários

Questão