Estados articulam ofensiva para barrar proposta de parcelamento de precatórios

A perda de prestígio e credibilidade do governo leva o ministério da economia a tentar manobra para não repassar de uma vez os precatórios aos estados, e assim evitar que opositores tenham acesso a verba às vésperas do ano eleitoral. Jair Bolsonaro segue sua ofensiva contra a Democracia, instituições e o sistema de votação, ao tempo em que tenta asfixiar financeiramente possíveis adversários no pleito de 2022. A matéria do Estadão retrata este cenário: Os Estados se mobilizam numa ofensiva no Congresso para evitar o parcelamento dos precatórios devidos pela União, medida defendida pela equipe econômica para garantir a ampliação do programa Bolsa Família no ano que vem. Dos R$ 89 bilhões em dívidas judiciais previstos para o Orçamento de 2022, pelo menos R$ 16,6 bilhões têm governos estaduais como credores. Para os Estados, a PEC dos precatórios e o projeto que altera o Imposto de Renda são duas frentes lançadas pelo governo federal que fragilizam as contas dos governos regionais, com p

Reinaldo

“O maior adversário do Flamengo será o próprio Flamengo” | Por que demissão de dirigente pode abrir crise no Flamengo

Imagem
O técnico português Jorge Jesus abriu 2020 com uma frase que pode soar profética: “O maior adversário do Flamengo será o próprio Flamengo”, cravou, em entrevista à CMTV, de seu país. O “mister”, na verdade, se referia à pressão por igualar os feitos da temporada passada, na qual o time venceu o Brasileirão e a Libertadores, mas bem que poderia incluir o conturbado xadrez político do clube, que nesta segunda-feira 7, perdeu uma importante peça, o gerente de futebol Paulo Pelaipe. Sua saída gera instabilidade e pode trazer graves consequências na Gávea.

No fim do ano passado, era dada como certa a renovação de contrato de Pelaipe, que era uma espécie de elo entre a diretoria, a comissão técnica e os atletas e mantinha ótima relação com Jorge Jesus, com quem chegou a jantar em Lisboa recentemente para planejar a temporada. No entanto, o gerente foi comunicado nesta segunda, por meio de um e-mail do RH do clube, de que seria desligado da função em 2020, segundo informações do GloboEsporte.com.

A notícia pegou de surpresa o vice-presidente de futebol, Marcos Braz, e o diretor-executivo Bruno Spindel, e foi tomada durante as férias do presidente Rodolfo Landim. Ainda segundo o site, a decisão da demissão foi tomada por Landim e pelo vice de relações exteriores, Luiz Eduardo Baptista, o BAP, com o apoio do vice Gustavo Oliveira.

A polêmica sobre a premiação do Flamengo no Mundial de Clubes – Pelaipe é acusado por membros da diretoria de ter vazado a informação – é apontada como o ponto final de uma relação que jamais foi boa, sobretudo entre Pelaipe e BAP.
Por que demissão de dirigente pode abrir crise no Flamengo ‹ VEJA ‹ Reader — WordPress.com

Comentários

Questão