Comparsas do miliciano Adriano da Nóbrega recorreram a Jair Bolsonaro, diz The Intercept

Ligações perigosas apontam para relações estreitas entre comparsas do miliciano Adriano da Nóbrega e o Presidente da República, a matéria intitulada o "O cara da casa de vidro" traz dados que levantam suspeitas sobre Jair Bolsonaro.   O Intercept já havia reportado sobre as escutas em fevereiro, quando mostramos como Adriano dizia que “se fodia” por ser amigo do presidente da República, e em março, quando detalhamos a briga pelo espólio deixado pelo ex-caveira. As referências a “Jair” e “cara da casa de vidro” constam em novos documentos recebidos pela reportagem, que, em conjunto com as escutas anteriores, permitem entender a amplitude das relações do miliciano e da rede que lhe deu apoio no período em que passou foragido. Adriano da Nóbrega fugia da justiça desde janeiro de 2019, quando o Ministério Público do Rio pediu a sua prisão, acusando-o de chefiar a milícia Escritório do Crime, especializada em assassinatos por encomenda. Ex-integrante da elite do batalhão de elite

Reinaldo

Isso tudo é medo? Não, É pânico... José de Abreu quer pedir habeas corpus preventivo após tuítes de Jair Bolsonaro

O que era zoação por conta da crise na Venezuela, aos poucos foi ganhando outro sentido e a troca de farpas entre o ator global José de Abreu e o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, no Twitter deve chegar às esferas judiciais. O artista, que está na Grécia e chega ao Aeroporto Internacional Tom Jobim, mais conhecido como Galeão, às 18h desta sexta (8/3), estuda entrar com um pedido de habeas corpus preventivo junto à Justiça Federal temendo ser preso por ordem do Palácio do Planalto. O dispositivo visa impedir judicialmente a prisão de alguém, e vem justamente após uma longa troca de farpas entre os dois.  
Resultado de imagem para José de Abreu quer pedir habeas corpus preventivo após tuítes de Jair Bolsonaro
A brincadeira começou em 25 de fevereiro, quando José de Abreu fez o primeiro tuíte, se "autoproclamando" presidente da República. Ele recebeu o "apoio" de vários políticos de esquerda, incluindo dos perfis dos ex-presidentes Dilma Rousseff e Lula, ambos do PT. O petista, inclusive, se declarou "cabo eleitoral" do artista.

Comentários

Questão