Comparsas do miliciano Adriano da Nóbrega recorreram a Jair Bolsonaro, diz The Intercept

Ligações perigosas apontam para relações estreitas entre comparsas do miliciano Adriano da Nóbrega e o Presidente da República, a matéria intitulada o "O cara da casa de vidro" traz dados que levantam suspeitas sobre Jair Bolsonaro.   O Intercept já havia reportado sobre as escutas em fevereiro, quando mostramos como Adriano dizia que “se fodia” por ser amigo do presidente da República, e em março, quando detalhamos a briga pelo espólio deixado pelo ex-caveira. As referências a “Jair” e “cara da casa de vidro” constam em novos documentos recebidos pela reportagem, que, em conjunto com as escutas anteriores, permitem entender a amplitude das relações do miliciano e da rede que lhe deu apoio no período em que passou foragido. Adriano da Nóbrega fugia da justiça desde janeiro de 2019, quando o Ministério Público do Rio pediu a sua prisão, acusando-o de chefiar a milícia Escritório do Crime, especializada em assassinatos por encomenda. Ex-integrante da elite do batalhão de elite

Reinaldo

Em dez anos de carreira, Neymar se tornou um monstro?


Em setembro de 2010, o então treinador do Atlético-GO, Renê Simões, fez declarações duras sobre um menino de 18 anos chamado Neymar. O camisa 11 do Santos tinha causado uma confusão feia em campo ao ser impedido de cobrar um pênalti na Vila Belmiro: xingou o treinador, brigou com companheiros de equipe e parou de jogar sério. 
"Estamos criando um monstro", profetizou Renê. Ele estava certo? 
Com 10 anos de carreira completados no dia 7 de março de 2019, Neymar já foi vários monstros. Neste episódio de 'Entendendo os Grandes Memes do Futebol Brasileiro', relembramos este caso icônico que explica muito do que tem sido esta jornada do craque brasileiro.

Comentários

Questão