Antes invisível, Gustavo Bebianno vive em centro de crise no Governo

O discurso de Bolsonaro contra a corrupção tá na berlinda com o “enrosco” de Flávio com Queiroz


"Há três meses, Flávio Bolsonaro borrifava detergente no noticiário político. Ele dizia: "Não há a menor condição de apoiar Renan Calheiros para a presidência do Senado". Afirmava também que "o novo momento do Brasil pede um presidente inédito" na Câmara, não Rodrigo Maia. Hoje, o Planalto está fechado com a reeleição de Maia na Câmara. E Renan estende a mão para o filho do presidente, às voltas com o risco de estrear no Senado como protagonista de uma CPI."
O discurso de Bolsonaro contra a corrupção tá na berlinda com o “enrosco” de Flávio com Queiroz

Comentários