Estados articulam ofensiva para barrar proposta de parcelamento de precatórios

A perda de prestígio e credibilidade do governo leva o ministério da economia a tentar manobra para não repassar de uma vez os precatórios aos estados, e assim evitar que opositores tenham acesso a verba às vésperas do ano eleitoral. Jair Bolsonaro segue sua ofensiva contra a Democracia, instituições e o sistema de votação, ao tempo em que tenta asfixiar financeiramente possíveis adversários no pleito de 2022. A matéria do Estadão retrata este cenário: Os Estados se mobilizam numa ofensiva no Congresso para evitar o parcelamento dos precatórios devidos pela União, medida defendida pela equipe econômica para garantir a ampliação do programa Bolsa Família no ano que vem. Dos R$ 89 bilhões em dívidas judiciais previstos para o Orçamento de 2022, pelo menos R$ 16,6 bilhões têm governos estaduais como credores. Para os Estados, a PEC dos precatórios e o projeto que altera o Imposto de Renda são duas frentes lançadas pelo governo federal que fragilizam as contas dos governos regionais, com p

Reinaldo

Em evento na PGR Bolsonaro troca bilhete com Maia perguntando sobre Collor candidato

Resultado de imagem para Em evento na PGR, o Presidente Jair Bolsonaro pegou um papelEm evento na PGR, o Presidente Jair Bolsonaro pegou um papel em cima da mesa, escreveu a mensagem e a deu para Rodrigo Maia. Os dois trocaram olhares e riram. Maia, então, devolveu o papel ao presidente, que o guardou. 


Repórteres fotográficos conseguiram captar a imagem do que escreveu o Presidente e o questionamento é sobre uma eventual candidatura de Fernando Collor à presidência do Senado. Quando Bolsonaro deixou a cerimônia, antes do fim do evento, os dois voltaram a conversar ao pé do ouvido. As assessorias de Maia, Bolsonaro e Collor, não responderam sobre o assunto aos jornalistas presentes. 
Até o momento, as candidaturas no Senado são de Renan Calheiros (MDB-AL), Major Olímpio (PSL-SP), Simone Tebet (MDB-MS), Tasso Jeiressati (PSDB-CE), Davi Alcolumbre (DEM-AP), Angelo Coronel (PSD-BA), Esperidião Amin (PP-SC) e Alvaro Dias (PODE-PR).

Na Câmara, Maia é candidato à reeleição no comando da Casa com apoio do PSL, partido de Jair Bolsonaro. 




Em evento na PGR Bolsonaro troca bilhete com Maia perguntando sobre Collor candidato

Comentários

Questão