O senador Romário é suspeito de ocultar patrimônio e usar laranjas para escapar das dívidas milionárias

O pagamento de pensões era um grande problema para o senador em seus tempos de fama como jogador, mas hoje em dia isso não deveria ser algo que o incomodasse, pois os filhos estão todos criados e talvez uma ou duas filhas ainda dependam do pai.
O ídolo dos gramados sempre teve sucesso, fez fama e dinheiro. Com o fim da carreira, Romário entrou para política, primeiro se elegeu deputado federal e depois conquistou uma cadeira no Senado da República. A política no Brasil é cercada de desconfianças e os políticos quase na sua totalidade são suspeitos de um tudo.



Leia abaixo a matéria de O Globo e entenda o imbróglio:

Do Jornal O Globo

Marco Grillo e Thiago Prado



Acusado em processos judiciais de transferir bens a terceiros para não pagar dívidas com credores, o senador Romário (Pode-RJ) passou a colocar o próprio advogado como dono de parte do seu patrimônio. Luiz Sérgio de Vasconcelos Júnior, que entre 2017 e 2019 foi funcionário comissionado no Senado, foi autorizado, por meio de documentos…

Papa Francisco recebe Chico Buarque e representantes de coletivos que defendem a democracia

O papa Francisco recebeu nesta terça-feira (11) o cantor e compositor brasileiro Chico Buarque, que entregou ao Pontífice um documento sobre o chamado "lawfare", o uso da Justiça para perseguir adversários políticos. O artista se reuniu com o líder da Igreja Católica ao lado da advogada brasileira Carol Proner, do advogado argentino Roberto Carlés e da escritora italiana Grazia Tuzi.
A audiência, realizada na Casa Santa Marta, residência do Papa no Vaticano, durou cerca de 45 minutos, de acordo com a "AFP". O compromisso não foi incluído na agenda oficial de Francisco.
"Não é exagero reconhecer que o 'lawfare' se transforma em um dos maiores perigos para a democracia no mundo e não apenas na América Latina", diz o documento, segundo a "Folha de S. Paulo".
O texto faz referências à "judicialização seletiva da política" na Argentina, no Brasil e no Equador - apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendem que ele é vítima de "lawfare" nos diversos processos em que é réu na Justiça. Os ex-mandatários Cristina Kirchner (Argentina) e Rafael Correa (Equador) também são alvos de inquéritos judiciais.

Comentários