Alvo de quebra de sigilo no caso Flávio Bolsonaro é assessor do vice Mourão

Diplomação de Jair Messias Bolsonaro, 38º Presidente do Brasil

A cerimônia de diplomação, realizadas desde 1951, é uma etapa indispensável para que os candidatos eleitos possam tomar posse nos cargos que disputaram nas urnas. Ela confirma que o político escolhido pelos eleitores cumpriu todas as formalidades previstas na legislação eleitoral e está apto a exercer o mandato.
Segundo protocolo do tribunal, caberá à presidente do TSE abrir a sessão solene e designar dois ministros para conduzirem Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão ao Plenário da Corte. Os eleitos se sentarão à esquerda da presidente do Tribunal na mesa oficial da solenidade, que será composta por autoridades do Judiciário, Executivo e Legislativo. 
Após a execução do Hino Nacional pela Banda dos Fuzileiros Navais, no início da solenidade, a presidente do TSE entregará os diplomas aos eleitos. Em seguida, Bolsoraro fará seu discurso, seguido da presidente do TSE, que também discursará e encerrará a sessão solene.
Cerca de 700 pessoas foram convidadas a assistir à solenidade de diplomação. Elas se dividirão entre o Plenário, local onde ocorrerá o ato solene, e os auditórios I e III da Corte, que disporão de telões com transmissão ao vivo da cerimônia.

Comentários