Juliette não esperava repercussão mas se divertiu com o pedido de tradução do Pokemón da Nintendo

Juliette colocou um ponto final no mistério e divulgou em Live no Instagram nesta quinta-feira (3) as datas e as cidades que devem receber os primeiros cinco shows de sua turnê, 'Caminhos' . As cidades escolhidas são do Nordeste e Sudeste do país, e já acontecem ainda neste de março. O local escolhido para o primeiro show, aquele que marca a estréia dela nos palcos acontece na cidade em que reside, o Rio de Janeiro, no dia 26 deste mês. João Pessoa, capital do estado natal de Juliette, Paraíba, também faz parte da rota da turnê no início de abril. Vitória, no Espírito Santo, e Recife, também terão shows da cantora. Muito se perguntou nas redes sociais após a divulgação sobre Campina Grande, apesar de Juliette não ter falado sobre isso, acreditamos que a Pitica deve estar reservando a cidade e o Parque do Povo para realizar o sonho de cantar no maior São João do mundo em Junho. Nas redes sociais, a paraibana celebrou o novo desafio, e convidou os fãs a conhecerem este “novo cami

Reinaldo

Reajuste salarial do STF, questionado na Justiça, coloca PSOL e MBL do mesmo lado

O PSOL e o Movimento Brasil Livre (MBL) questionaram na Justiça, nesta quinta-feira, dia 8, o aumento de 16,38% no salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), aprovado na quarta-feira, dia 7, pelo Senado. O deputado federal Chico Alencar (PSOL-RJ) apresentou um mandado de segurança no próprio STF, enquanto Rubinho Nunes, um dos coordenadores do MBL, entrou com ação popular na 6ª Vara Federal de Campinas.

O reajuste ainda precisa ser sancionado pelo presidente Michel Temer que deve utilizar todo o prazo que tem direito, de 15 dias, para analisar se irá aprovar ou não o aumento. Segundo auxiliares de Temer, embora a tendência seja pela sanção, o presidente deve aguardar uma sinalização STF sobre o fim do auxílio-moradia para oficializar sua decisão. 

Os dois pedidos utilizam argumentações diferentes. O PSOL diz que, como houve uma alteração do texto no Senado, ele deveria voltar para a Câmara, onde já havia sido aprovado em 2016. A ação foi distribuída para o ministro Ricardo Lewandowski. Já o MBL considera que o aumento infringe o princípio da moralidade, já que o país passa por uma crise econômica, e desrespeita a Lei de Responsabilidade Fiscal, por causar um aumento de despesa nos últimos 180 dias de mandato.

EFEITO CASCATA – A remuneração subirá de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil. O aumento tem efeito cascata, provoca reajustes para os demais magistrados e faz subir o teto salarial para o funcionalismo — que tem como referência o salário de ministros do STF. A aprovação deve gerar um rombo de R$ 4 bilhões para União e estados, segundo cálculos de técnicos da Câmara.

Apenas para a União, a despesa estimada é de R$ 1,45 bilhão ao ano, sendo R$ 717 milhões no Poder Judiciário, R$ 258 milhões no Ministério Público da União; R$ 250 milhões no Executivo e R$ 220 milhões no Legislativo. No estados, que sofrem uma grave crise fiscal, estima-se um efeito anual de R$ 2,6 bilhões.

Quando o STF aprovou o próprio aumento, em agosto, o presidente Michel Temer fechou um acordo com o Judiciário para incluir o reajuste salarial dos ministros no Orçamento de 2019. Para evitar que o aumento impacte ainda mais as contas públicas, os ministros da Corte se comprometeram acabar com o auxílio-moradia, o que deve ocorrer ainda neste ano.
Por Daniel Gullino/ O Globo http://www.tribunadainternet.com.br/reajuste-de-ministros-do-stf-questionado-na-justica-coloca-psol-e-mbl-do-mesmo-lado/

Comentários

Questão