Mídia tenta criminalizar The Intercept Brasil, por Altamiro Borges

Após ordem de prisão, PT antecipa ato com Lula para esta noite em São Bernardo

Previsto para ocorrer na noite de amanhã (6), o Partido dos Trabalhadores (PT) antecipou para daqui a pouco ato com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em São Bernardo do Campo, por causa da determinação da prisão de Lula pelo  juiz Sérgio Moro. O juiz determinou que Lula se apresente à Polícia Federal, em Curitiba, até as 17h desta sexta-feira. O partido está convocando os militantes para uma "vigília permanente em defesa da democracia, da Constituição e de Lula Livre". 
O ex-presidente passou o dia no Instituto Lula, na capital paulista, acompanhado de integrantes do partido, como a ex-presidente Dilma Rousseff. Ele não conversou com a imprensa, que passou o dia do lado de fora acompanhando a movimentação. O ex-presidente deixou o local por volta das 18h30. Pouco depois, saiu o senador Lindbergh Farias (RJ) que falou com os jornalistas. 

Na porta do instituto, Farias classificou a decisão de Moro de absurda. “Esse negócio foi um absurdo. Ainda tinham os embargos dos embargos na terça-feira e ele antecipou. Isso é um escândalo. Mais um absurdo aí e nós vamos para São Bernardo para estar junto com o presidente”.

Enquanto o senador falava com a imprensa e criticava a decisão de Moro, um homem começou a gritar ofensas ao partido. Uma pessoa que acompanhava o senador empurrou o homem, que acabou batendo a cabeça em um caminhão que passava no local e caindo no chão, com sangramento. A cena foi acompanhada por diversos jornalistas. Uma pessoa que passava pelo local socorreu o homem e o levou para o Hospital São Camilo, que fica em frente ao instituto. O estado de saúde dele não foi informado.

Militantes começaram a chegar ao instituto ao final do dia, assim como policiais militares após a confusão.

Comentários