Estados articulam ofensiva para barrar proposta de parcelamento de precatórios

A perda de prestígio e credibilidade do governo leva o ministério da economia a tentar manobra para não repassar de uma vez os precatórios aos estados, e assim evitar que opositores tenham acesso a verba às vésperas do ano eleitoral. Jair Bolsonaro segue sua ofensiva contra a Democracia, instituições e o sistema de votação, ao tempo em que tenta asfixiar financeiramente possíveis adversários no pleito de 2022. A matéria do Estadão retrata este cenário: Os Estados se mobilizam numa ofensiva no Congresso para evitar o parcelamento dos precatórios devidos pela União, medida defendida pela equipe econômica para garantir a ampliação do programa Bolsa Família no ano que vem. Dos R$ 89 bilhões em dívidas judiciais previstos para o Orçamento de 2022, pelo menos R$ 16,6 bilhões têm governos estaduais como credores. Para os Estados, a PEC dos precatórios e o projeto que altera o Imposto de Renda são duas frentes lançadas pelo governo federal que fragilizam as contas dos governos regionais, com p

Reinaldo

A ordem no Atlético Goianiense é vencer ou vencer à partir de agora

Quando a fase é ruim nada dá certo, mas o Dragão tá afundando e não mostra poder de reação. O Atlético Goianiense que até outro dia fazia figuração na Série A do Brasileirão não vence uma partida oficial desde 16 de Novembro de 2017, lá se vão inimagináveis 84 dias sem um triunfo do time profissional rubro-negro.
Não sabemos ao certo qual é o cerne da má fase do clube, se é financeiro, má vontade dos profissionais ou incompetência da diretoria que conta com o badalado Adson Batista, mas que há muito tempo nem ele tem acertado a mão. Do jeito que as coisas vão o Dragão pinta como favorito ao título goiano da Divisão de Acesso no ano que vem, porque senão começar a vencer, o destino será a segunda divisão do regional.

Comentários

Questão