Morre Maguito Vilela, prefeito licenciado de Goiânia

O prefeito licenciado de Goiânia, Maguito Vilela (MDB), morreu na madrugada nesta quarta-feira (13), a nove dias de completar 72 anos de idade. A morte encerra uma luta contra a covid-19 que começou há 83 dias. Maguito deixa a esposa, Flávia, quatro filhos (entre eles Daniel Vilela), quatro netos e 1,5 milhão de goianienses órfãos. O sepultamento acontecerá em Jataí, sua terra natal. Maguito lutava contra a sua segunda infecção pulmonar, detectada em sete de janeiro – há seis dias, portanto. A notícia de que o paciente havia sido acometido por bactérias no pulmão jogou um balde de água fria em todos que torciam pela sua recuperação, já que antes dela Maguito estava lúcido, assistia a filmes e jogos de futebol no seu quarto, falava com o suporte de uma válvula (que tampava o orifício aberto em sua traqueia para ventilação mecânica) e recebia visita dos netos. O boletim médico desta terça trouxe, pela primeira vez, o adjetivo “grave” para falar da infecção contra a qual o prefeito lutava

Reinaldo

Fila com 80 delatores da Odebrecht começa a andar na semana que vem

Antes de falar às autoridades, porém, os interessados na delação premiada precisam enviar uma proposta do que têm para falar aos investigadores via advogados de defesa.
Os procuradores avaliam o material e decidem se as informações são relevantes. Só a partir daí é que os candidatos a delatores são chamados para depor fisicamente. Cada nome aprovado pela força-tarefa se torna um anexo — como se fosse uma pasta nova com a delação.
Alguns delatores serão ouvidos apenas uma vez, enquanto outros poderão retornar ao MPF diversas vezes. O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, por exemplo, depôs mais de 200 vezes antes de ir para a prisão domiciliar. O doleiro Alberto Youssef foi ouvido 130 vezes. 
Funcionários da empreiteira vão respeitar ordem virtual para depor até março de 2017


.

Comentários

Questão