Prefeitura de Sorocaba indica "tratamento precoce", que infectologistas dizem ser ineficaz

O prefeito de Sorocaba ordenou a compra de R$ 57 mil em medicamentos que, segundo médicos infectologistas, não possuem eficácia contra a Covid-19. Esses medicamentos serão distribuídos nas UBS da cidade, informou o governo municipal. O prefeito Rodrigo Manga (Republicanos) usou uma portaria do Ministério da Saúde para justificar a compra.  A Sociedade Brasileira de Infectologia se pronunciou contra a recomendação de remédios para tratamento precoce pela ineficácia desses medicamentos e pela possibilidade de causarem efeitos colaterais.   Prefeitura de Sorocaba indica "tratamento precoce", que infectologistas dizem ser ineficaz / Twitter

Reinaldo

Esquema de fraude no Samu de Goiás lucrava colocando vidas em risco | @Reinaldo_Cruz – Assuntos de Goiás – Questão Brasil

 

O esquema funcionava da seguinte maneira: quando o Samu atendia uma pessoa que tinha plano de saúde, essa pessoa era direcionada para a UTI de um hospital particular. 

A prática era adotada em quaisquer circunstâncias, mesmo que não houvesse necessidade clínica, como explica o coordenador da GAECO/GO, Luiz Guilherme Gimenez: "Por exemplo, um paciente que precisava que fosse feito uma glicose nele, eles não faziam a glicose e ainda administravam Diazepam, para que o paciente fosse induzido ao coma e assim fosse dado o adentramento dele na UTI"

Depois que estavam dopados, os pacientes também eram furtados. 

"Alguns dos funcionários disseram que havia reclamações de vários dos pacientes atendidos, que tiveram a carteira, o aparelho celular furtados, no momento do atendimento.  E muitas vezes os autores desses furtos eram os funcionários do próprio Samu", revelou José Carlos Nery Junior, que é coordenador do setor de inteligência do Ministério Público de Goiás. 

Comentários

Questão