Morre aos 85 anos, vítima de Covid-19, o ator Tarcísio Meira

Tarcísio Meira, 85, morreu nesta quinta-feira (12) vítima da Covid-19. Ele estava internado na UTI onde passava por diálise contínua. Tarcísio e a esposa, a atriz Glória Menezes, foram internados com a doença provocada pelo coronavírus desde a última sexta-feira (6).  Já sobre Glória Menezes, ela segue internada no apartamento se recuperando bem. Os dois eram casados desde 1962 e pais do também ator Tarcísio Filho, 58 anos. Apesar de vacinados com as duas doses de imunizante contra a Covid-19, a idade dos atores contribuiu para um quadro delicado. 🙏🙏🙏 #MPN, #JulietteFashion, #JulietteCriadora,#juliettenaamericanas, #avonliette, #juliettenogloboplay, #HAVAINASDEJULIETTE, #JulietteELOccitane, #ACeADeJuliette, #BohemiadaJuliette,#juliettenaloccitaneaubresil, #BohemiadaJuliette, #juliettenosaiajusta, #JulietteNoHugoGloss, #juliettenofantastico, #juliettenoge, #BBB21, #JulietteProtagonista, #TeamJuliette, #juliettenofaustao, #JuliettenoPorchat, #JuliettenoCriançaEsperança, #J

Reinaldo

Esquema de fraude no Samu de Goiás lucrava colocando vidas em risco | @Reinaldo_Cruz – Assuntos de Goiás – Questão Brasil

 

O esquema funcionava da seguinte maneira: quando o Samu atendia uma pessoa que tinha plano de saúde, essa pessoa era direcionada para a UTI de um hospital particular. 

A prática era adotada em quaisquer circunstâncias, mesmo que não houvesse necessidade clínica, como explica o coordenador da GAECO/GO, Luiz Guilherme Gimenez: "Por exemplo, um paciente que precisava que fosse feito uma glicose nele, eles não faziam a glicose e ainda administravam Diazepam, para que o paciente fosse induzido ao coma e assim fosse dado o adentramento dele na UTI"

Depois que estavam dopados, os pacientes também eram furtados. 

"Alguns dos funcionários disseram que havia reclamações de vários dos pacientes atendidos, que tiveram a carteira, o aparelho celular furtados, no momento do atendimento.  E muitas vezes os autores desses furtos eram os funcionários do próprio Samu", revelou José Carlos Nery Junior, que é coordenador do setor de inteligência do Ministério Público de Goiás. 

Comentários

Questão