O ator e humorista Batoré morre em São Paulo

O ator e humorista Ivanildo Gomes Nogueira, de 61 anos, conhecido como Batoré, morreu nesta segunda-feira (10), em São Paulo. Ele estava com câncer. Batoré morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Pirituba, Zona Norte da capital. "As informações médicas foram repassadas à família e a Secretaria Municipal de Saúde lamenta o ocorrido", diz nota da Prefeitura. Ivanildo nasceu em Serra Talhada, em Pernambuco, e se mudou para São Paulo ainda criança. Antes de se tornar ator, jogou futebol nas categorias de base em times paulistas. Com seu principal personagem, Batoré, Ivanildo integrou o elenco do programa " A Praça é Nossa ", do SBT. Em 2016, foi contratado pela Rede Globo para a novela "Velho Chico" em que fez o papel do delegado Queiroz. Batoré também foi vereador de Mauá, na Grande São Paulo, por dois mandatos pelo PP. Fonte: Batoré, ator e humorista, morre em SP | São Paulo | G1

Reinaldo

Bateu o desespero - Em página do PT, texto apócrifo chama Campos de 'tolo' e diz que ele 'vendeu a alma'

O PT nacional publicou nesta terça-feira (7) em sua página oficial no Facebook um texto com críticas ao governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), provável adversário da presidente Dilma Rousseff nas eleições presidenciais deste ano.

Intitulado "A balada de Eduardo Campos", o artigo afirma que o governador é um "tolo" e que "vendeu a alma à oposição" ao descartar a aliança com o PT e decidir se lançar ao Palácio do Planalto.
"Ao descartar a aliança com o PT e vender a alma à oposição em troca de uma probabilidade distante –a de ser presidente da República–, Campos rifou não apenas sua credibilidade política, mas se mostrou, antes de tudo, um tolo", diz o artigo.

Ainda de acordo com o texto, o governador de Pernambuco é um "beneficiário singular da boa vontade dos governos do PT" e transformou sua perspectiva de poder em "desespero eleitoral.

"Estimulado pelos cães de guarda da mídia, decidiu que era hora de se apresentar como candidato a presidente da República –sem projeto, sem conteúdo e, agora se sabe, sem compostura política".

Algumas críticas também são direcionadas à ex-senadora Marina Silva (PSB), neoaliada de Campos. Segundo o artigo, Marina virou uma "pedra no sapato", em referência à polêmica que se criou em torno da antecipação do anúncio de seu nome como vice na chapa do pernambucano e também das divergências entre os dois frente à política de alianças adotada pelo partido.

Apesar de estar na página oficial do PT no Facebook, o texto não tem assinatura. Procurada pela Folha, a assessoria do partido disse que não é de autoria do presidente nacional, Rui Falcão, mas não soube informar quem é o autor.

A reportagem também entrou em contato com a assessoria de Eduardo Campos e Marina Silva, que disseram não ter conhecimento do texto e, caso seja necessário, responderão oficialmente ao que for considerado ofensa.
Leia mais: Folha de S.Paulo - Poder - Em página do PT, texto apócrifo chama Campos de 'tolo' e diz que ele 'vendeu a alma' - 07/01/2014

Comentários

Questão