O ator e humorista Batoré morre em São Paulo

O ator e humorista Ivanildo Gomes Nogueira, de 61 anos, conhecido como Batoré, morreu nesta segunda-feira (10), em São Paulo. Ele estava com câncer. Batoré morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Pirituba, Zona Norte da capital. "As informações médicas foram repassadas à família e a Secretaria Municipal de Saúde lamenta o ocorrido", diz nota da Prefeitura. Ivanildo nasceu em Serra Talhada, em Pernambuco, e se mudou para São Paulo ainda criança. Antes de se tornar ator, jogou futebol nas categorias de base em times paulistas. Com seu principal personagem, Batoré, Ivanildo integrou o elenco do programa " A Praça é Nossa ", do SBT. Em 2016, foi contratado pela Rede Globo para a novela "Velho Chico" em que fez o papel do delegado Queiroz. Batoré também foi vereador de Mauá, na Grande São Paulo, por dois mandatos pelo PP. Fonte: Batoré, ator e humorista, morre em SP | São Paulo | G1

Reinaldo

Galo tem missão difícil contra o Goiás @Reinaldo_Cruz @Dribles_ @QB_7 @Cnn_br @Goias_ec @AtleticoMG_

No treino de reconhecimento do novo estádio Independência, ontem à noite, as impressões dos jogadores, do técnico Cuca e até do presidente Alexandre Kalil eram, no mínimo, interessantes: olhos curiosos, semblantes de admiração e orgulho da nova casa do futebol mineiro, que promete ficar na memória de todos.
A situação seria perfeita se o Galo não estivesse na berlinda, com a obrigação de vencer o Goiás por três gols de vantagem para passar de fase na competição nacional. Se triunfar por 2 a 0, a vaga será definida nos pênaltis, pois os esmeraldinos venceram pelo mesmo placar no Serra Dourada. O momento histórico de estrear no recém-inaugurado Independência e se reencontrar com os torcedores em Belo Horizonte depois de dois anos são motivações do grupo alvinegro para partir para o ataque e conseguir a missão.
Certamente o fracasso e a eliminação precoce não passa pela cabeça de nenhum jogador, nem de Cuca. O treinador continua prestigiado pela diretoria, mesmo se houver um fracasso. No centro do campo, ele ficou durante 10 minutos conversando com Alexandre Kalil, num tom de compromisso e seriedade. Se a tarefa é indigesta, os atletas mantêm a concentração e fazem pacto pelo sucesso: “Esperamos uma festa muito bonita do nosso torcedor. Precisamos mostrar o jogo ofensivo e tentar fazer um gol no início para que a massa fique tranquila”, afirma o atacante André, artilheiro do Galo na Copa do Brasil, com quatro gols.

Fonte: Super Esportes

Comentários

Questão