Estados articulam ofensiva para barrar proposta de parcelamento de precatórios

A perda de prestígio e credibilidade do governo leva o ministério da economia a tentar manobra para não repassar de uma vez os precatórios aos estados, e assim evitar que opositores tenham acesso a verba às vésperas do ano eleitoral. Jair Bolsonaro segue sua ofensiva contra a Democracia, instituições e o sistema de votação, ao tempo em que tenta asfixiar financeiramente possíveis adversários no pleito de 2022. A matéria do Estadão retrata este cenário: Os Estados se mobilizam numa ofensiva no Congresso para evitar o parcelamento dos precatórios devidos pela União, medida defendida pela equipe econômica para garantir a ampliação do programa Bolsa Família no ano que vem. Dos R$ 89 bilhões em dívidas judiciais previstos para o Orçamento de 2022, pelo menos R$ 16,6 bilhões têm governos estaduais como credores. Para os Estados, a PEC dos precatórios e o projeto que altera o Imposto de Renda são duas frentes lançadas pelo governo federal que fragilizam as contas dos governos regionais, com p

Reinaldo

Copa América Neymar x Messi @Reinaldo_Cruz @Questao_Brasil @Blogdozurc @CopaFlavios @Copa_aespl @Esporteenoticia #ASBUG

O craque aproveitou a ocasião para acalmar os torcedores santistas quanto ao seu futuro. "Ouvi falar sobre [propostas do] Real Madrid, mas não estou sabendo de nada, nem meu pai, nem meus agentes. Então minha cabeça é no Santos". Já o meia Elano projeta um trio santista na seleção, com ele, Neymar e Ganso. "A gente está indo para procurar fazer o melhor junto com o grupo. Se tivermos a possibilidade de jogarmos juntos, seria muito legal. Nossa amizade pode ajudar muito", afirmou. Assim como Neymar, o jogador falou na emoção em colocar o seu nome na história do Santos com a conquista da Libertadores deste ano, o terceiro na história do clube alvinegro. O atacante Neymar descartou um duelo pessoal com Messi em um possível confronto entre Brasil e Argentina na competição.

Comentários

Questão