Após MP-GO recomendar que Estado e Município não recebam a Copa América, Caiado pode desmoralizar o COE e o próprio Secretário da Saúde

A matéria abaixo foi publicada pelo jornal O Popular mostra que o único estado da federação que tem um médico como governador desmerece as decisões técnicas de um comitê montado para emitir pareceres em casos como este e, pior do que isso, desrespeita o próprio secretário de saúde que também poderia opinar tecnicamente sobre o assunto. A política e a politicagem falaram mais alto no Palácio das Esmeraldas, a vontade do governo de Goiás em "fazer média" com o negacionismo do governo federal salta aos olhos daqueles que tem um mínimo de bom senso.  Matéria do Jornalista Alexandre Ferrari em O Popular: Documento assinado por promotores com atuação na área da saúde cita a alta taxa de ocupação dos leitos de UTI e enfermaria de hospitais destinados para tratamento contra a Covid-19 O Ministério Público de Goiás (MP-GO) enviou uma carta ao governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), com a recomendação de que o Estado não seja sede da Copa América 2021 . O documento também foi encami

Reinaldo

Qual é o ânimo da Câmara para votar a prisão após 2ª instância?



O traficante André do Rap saiu da cadeia no sábado, pela porta da frente, após decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF). No mesmo dia, o presidente do STF, Luiz Fux, revogou a decisão do colega. A essa altura, um dos chefes do crime organizado já estava foragido. Nesta quarta-feira, o plenário da Corte discute o caso. O ministro Marco Aurélio sustenta que cumpriu a lei e que sua decisão está amparada no "pacote anticrime", aprovado pelo Congresso e sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro.
Mas André do Rap também foi beneficiado pelo atual entendimento do STF, que definiu, no final de 2019, pelo cumprimento da pena somente após o julgamento de todos os recursos. No Congresso, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que define a prisão após condenação em segunda instância ganhou peso ainda durante a campanha de 2018. No final de 2019, teve destaque às vésperas da decisão do STF sobre o tema. O tempo passou, e a PEC não avançou. Agora, após a fuga de André do Rap, o tema volta ao debate.
No Ao Ponto desta quarta-feira, o repórter Bruno Góes avalia as chances de a proposta ser votada ainda este ano e conta como o governo atua em relação ao tema. O repórter André de Souza explica como os ministros do STF já votaram em casos como o do traficante André do Rap, que será analisado pelo plenário da Corte nesta quarta-feira.

Comentários

Questão