Prefeitura de Sorocaba indica "tratamento precoce", que infectologistas dizem ser ineficaz

O prefeito de Sorocaba ordenou a compra de R$ 57 mil em medicamentos que, segundo médicos infectologistas, não possuem eficácia contra a Covid-19. Esses medicamentos serão distribuídos nas UBS da cidade, informou o governo municipal. O prefeito Rodrigo Manga (Republicanos) usou uma portaria do Ministério da Saúde para justificar a compra.  A Sociedade Brasileira de Infectologia se pronunciou contra a recomendação de remédios para tratamento precoce pela ineficácia desses medicamentos e pela possibilidade de causarem efeitos colaterais.   Prefeitura de Sorocaba indica "tratamento precoce", que infectologistas dizem ser ineficaz / Twitter

Reinaldo

Globo não renova contrato com Tarcísio Meira e Glória Menezes e casal deixa emissora depois de 53 anos

Tarcísio Meira e Glória Menezes, um dos casais mais tradicionais das novelas brasileiras e na vida real, foram dispensados da TV Globo. A emissora decidiu não renovar o contrato dos atores em 2020. A nota oficial não menciona a palavra demissão. “Tarcísio e Glória, com quem tivemos uma longa parceria de sucesso, têm abertas as portas para projetos em nossas múltiplas plataformas. Nos últimos anos, temos tomado uma série de iniciativas para preparar a empresa para os desafios do futuro. Com isso, temos evoluído nos nossos modelos de gestão, de criação, de produção e de desenvolvimento de negócios. Em sintonia com as transformações do mercado, a Globo vem adotando novas dinâmicas com seus talentos”, diz o comunicado divulgado pela colunista Patrícia Kogut.
Tarcísio Meira se declara para Glória Menezes após 60 anos juntos:  'Parceiros e confidentes' | Famosos | Gshow
O casal estreou na Globo em 1967, com a novela Sangue e Areia, de Janete Clair. Assim como outras estrelas da emissora que não tiveram contrato renovado, Tarcísio e Glória podem trabalhar na empresa, mas contratados apenas por obra certa, sem vínculo de longo prazo. 
Fonte: Globo não renova contrato com Tarcísio Meira e Glória Menezes - Cultura - Estadão

Comentários

Questão