Comparsas do miliciano Adriano da Nóbrega recorreram a Jair Bolsonaro, diz The Intercept

Ligações perigosas apontam para relações estreitas entre comparsas do miliciano Adriano da Nóbrega e o Presidente da República, a matéria intitulada o "O cara da casa de vidro" traz dados que levantam suspeitas sobre Jair Bolsonaro.   O Intercept já havia reportado sobre as escutas em fevereiro, quando mostramos como Adriano dizia que “se fodia” por ser amigo do presidente da República, e em março, quando detalhamos a briga pelo espólio deixado pelo ex-caveira. As referências a “Jair” e “cara da casa de vidro” constam em novos documentos recebidos pela reportagem, que, em conjunto com as escutas anteriores, permitem entender a amplitude das relações do miliciano e da rede que lhe deu apoio no período em que passou foragido. Adriano da Nóbrega fugia da justiça desde janeiro de 2019, quando o Ministério Público do Rio pediu a sua prisão, acusando-o de chefiar a milícia Escritório do Crime, especializada em assassinatos por encomenda. Ex-integrante da elite do batalhão de elite

Reinaldo

Agronegócio do Brasil: BRF vende ativos na Tailândia e Europa por US$ 340 milhões, e adia metas em 6 meses

A BRF anunciou nesta quinta-feira (7) que fechou acordo para vender à americana Tyson International Holding ativos na Europa e na Tailândia por um valor de US$ 340 milhões (o equivalente a R$ 1,25 bilhão).








O negócio envolve, segundo a BRF, participação acionária em atividades de processamento de alimentos e abate de aves.

Resultado de imagem para brf
"O fechamento dessa operação está sujeito à verificação de condições precedentes aplicáveis a transações dessa natureza, incluindo a aprovação pelas autoridades regulatórias", destacou a empresa.
A venda faz parte da reestruturação promovida pela BRF para reduzir o endividamento e reerguer a companhia após sucessivos prejuízos.

Comentários

Questão