Estados articulam ofensiva para barrar proposta de parcelamento de precatórios

A perda de prestígio e credibilidade do governo leva o ministério da economia a tentar manobra para não repassar de uma vez os precatórios aos estados, e assim evitar que opositores tenham acesso a verba às vésperas do ano eleitoral. Jair Bolsonaro segue sua ofensiva contra a Democracia, instituições e o sistema de votação, ao tempo em que tenta asfixiar financeiramente possíveis adversários no pleito de 2022. A matéria do Estadão retrata este cenário: Os Estados se mobilizam numa ofensiva no Congresso para evitar o parcelamento dos precatórios devidos pela União, medida defendida pela equipe econômica para garantir a ampliação do programa Bolsa Família no ano que vem. Dos R$ 89 bilhões em dívidas judiciais previstos para o Orçamento de 2022, pelo menos R$ 16,6 bilhões têm governos estaduais como credores. Para os Estados, a PEC dos precatórios e o projeto que altera o Imposto de Renda são duas frentes lançadas pelo governo federal que fragilizam as contas dos governos regionais, com p

Reinaldo

Ministro da Saúde indicado por Bolsonaro é suspeito de tudo. A biografia de Sérgio Moro foi pro saco de vez

O presidente eleito Jair Bolsonaro defendeu a indicação do deputado Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS) para assumir o Ministério da Saúde em seu governo, apesar de pesarem acusações sobre ele, e ressaltou que a indicação foi da bancada da saúde na Câmara dos Deputados e de entidades do setor. Paulo Guedes, Onyx Lorenzoni, Tereza Cristina, Luiz Henrique Mandetta... Aquele discurso ANTI CORRUPÇÃO de Bolsonaro não durou nem ate a sua posse. O discurso nunca foi contra a corrupção. O Presidente eleito é fruto do sistema, a cada dia fica claro que não vai combate lo. Já é o quarto nome indicado que está sendo investigado. Quando Perguntado sobre as investigações que pesam contra o deputado Mandetta, escolhido para ministro da Saúde, Jair Bolsonaro respondeu: “Ele nem é réu ainda. O que está acertado entre nós? Qualquer denúncia ou acusação que seja robusta, não fará parte do governo". Após confirmação de Mandetta, cai definitivamente o discurso de Bolsonaro de intolerância com corrupção. Mandetta é investigado por suposta fraude em licitação, tráfico de influência e caixa 2 no contrato para implementar um sistema de informatização na saúde em Campo Grande, no período no qual foi secretário.
via Bolsonaro defende indicação de Mandetta para Saúde apesar de denúncia — EXAME

Comentários

Questão