Comparsas do miliciano Adriano da Nóbrega recorreram a Jair Bolsonaro, diz The Intercept

Ligações perigosas apontam para relações estreitas entre comparsas do miliciano Adriano da Nóbrega e o Presidente da República, a matéria intitulada o "O cara da casa de vidro" traz dados que levantam suspeitas sobre Jair Bolsonaro.   O Intercept já havia reportado sobre as escutas em fevereiro, quando mostramos como Adriano dizia que “se fodia” por ser amigo do presidente da República, e em março, quando detalhamos a briga pelo espólio deixado pelo ex-caveira. As referências a “Jair” e “cara da casa de vidro” constam em novos documentos recebidos pela reportagem, que, em conjunto com as escutas anteriores, permitem entender a amplitude das relações do miliciano e da rede que lhe deu apoio no período em que passou foragido. Adriano da Nóbrega fugia da justiça desde janeiro de 2019, quando o Ministério Público do Rio pediu a sua prisão, acusando-o de chefiar a milícia Escritório do Crime, especializada em assassinatos por encomenda. Ex-integrante da elite do batalhão de elite

Reinaldo

TCE pode ter ajudado governo estadual com a LRF

Uma matéria divulgada nesta quarta-feira (16) pelo jornal Estadão diz que Tribunais de Contas dos Estados (TCEs) deram aval a "maquiagens" dos governos estaduais.
politizado1-fw1
Segundo a reportagem, um estudo do Tesouro Nacional mostra que boa parte dos Estados gasta com pessoal mais do que declara, extrapolando os limites estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).
Porém, em decisões colegiadas, os tribunais permitem que o cálculo da despesa exclua alguns gastos para não ultrapassar os 60%.
Goiás foi citado na matéria do Estadão. A jornalista Fabiana Pulcineli falou sobre o assunto no Papo Político. Confira!
PAPO POLÍTICO

Comentários

Questão