Comparsas do miliciano Adriano da Nóbrega recorreram a Jair Bolsonaro, diz The Intercept

Ligações perigosas apontam para relações estreitas entre comparsas do miliciano Adriano da Nóbrega e o Presidente da República, a matéria intitulada o "O cara da casa de vidro" traz dados que levantam suspeitas sobre Jair Bolsonaro.   O Intercept já havia reportado sobre as escutas em fevereiro, quando mostramos como Adriano dizia que “se fodia” por ser amigo do presidente da República, e em março, quando detalhamos a briga pelo espólio deixado pelo ex-caveira. As referências a “Jair” e “cara da casa de vidro” constam em novos documentos recebidos pela reportagem, que, em conjunto com as escutas anteriores, permitem entender a amplitude das relações do miliciano e da rede que lhe deu apoio no período em que passou foragido. Adriano da Nóbrega fugia da justiça desde janeiro de 2019, quando o Ministério Público do Rio pediu a sua prisão, acusando-o de chefiar a milícia Escritório do Crime, especializada em assassinatos por encomenda. Ex-integrante da elite do batalhão de elite

Reinaldo

Perícia do Senado mostra que não houve crime, diz Dilma – @Reinaldo_Cruz – Eu digo Sempre | Questão Brasil

E agora José? 
Todo o rito do impeachment sendo cumprido à risca, as pessoas sendo convencidas de que não houve um golpe, que o crime de responsabilidade estava sim explícito nas chamadas pedaladas fiscais e me vem a perícia do Senado e diz que Dilma não agiu de má fé, que não houve crime de responsabilidade em relação a isso... 
O Brasil escuta tudo isso estarrecido, mas não tem para onde correr, ou traz de volta Dilma e os corruptos do PT, ou aceita os acontecimentos, faz vista grossa para o laudo da perícia e fica com os "corruptos" do PMDB até 2018. 
Fonte: Perícia do Senado mostra que não houve crime, diz Dilma - Notícias - Política

Comentários

Questão