Após MP-GO recomendar que Estado e Município não recebam a Copa América, Caiado pode desmoralizar o COE e o próprio Secretário da Saúde

A matéria abaixo foi publicada pelo jornal O Popular mostra que o único estado da federação que tem um médico como governador desmerece as decisões técnicas de um comitê montado para emitir pareceres em casos como este e, pior do que isso, desrespeita o próprio secretário de saúde que também poderia opinar tecnicamente sobre o assunto. A política e a politicagem falaram mais alto no Palácio das Esmeraldas, a vontade do governo de Goiás em "fazer média" com o negacionismo do governo federal salta aos olhos daqueles que tem um mínimo de bom senso.  Matéria do Jornalista Alexandre Ferrari em O Popular: Documento assinado por promotores com atuação na área da saúde cita a alta taxa de ocupação dos leitos de UTI e enfermaria de hospitais destinados para tratamento contra a Covid-19 O Ministério Público de Goiás (MP-GO) enviou uma carta ao governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), com a recomendação de que o Estado não seja sede da Copa América 2021 . O documento também foi encami

Reinaldo

PF apura ligação de Delúbio com fraude no ES @Dribles_ @Reinaldo_Cruz @Assuntosdegoias @qb_7 @Cnn_br

Investigações da Polícia Federal e do Ministério Público do Espírito Santo encontraram indícios de que o esquema de corrupção deflagrado na cidade de Presidente Kennedy no mês passado seria a ponta de um esquema que se espalha por outros municípios do Espírito Santo, Goiás, Bahia, Minas Gerais e São Paulo. Em dado momento, apareceu nas investigações o nome do ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, um dos réus do processo do mensalão. Delúbio teria discutido formas de vender a outras cidades lousas digitais, um dos focos de fraude apontados. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.
Segundo as investigações, os atos criminosos eram liderados pelo prefeito de Presidente Kennedy, Reginaldo Quinta (PTB). Os vereadores afastados seriam responsáveis por evitar que os contratos fossem fiscalizados. A Controladoria Geral da União (CGU) calcula que R$ 55 milhões foram desviados. Uma das fornecedoras investigadas no fornecimento das lousas é a Matrix Sistemas e Tecnologia, que tem como endereço um terreno baldio. Em Janeiro, o sócio da Matrix, Jurandy Nogueira Júnior, pediu ajuda ao deputado estadual Misael de Oliveira (PDT-GO), que prometeu apresentá-los a prefeitos. O deputado, segundo as investigações, intermediou um encontro entre o empresário e Delúbio Soares. Procurado pelo jornal, Delúbio Soares não se manifestou sobre o caso.

Comentários

Questão