Comparsas do miliciano Adriano da Nóbrega recorreram a Jair Bolsonaro, diz The Intercept

Ligações perigosas apontam para relações estreitas entre comparsas do miliciano Adriano da Nóbrega e o Presidente da República, a matéria intitulada o "O cara da casa de vidro" traz dados que levantam suspeitas sobre Jair Bolsonaro.   O Intercept já havia reportado sobre as escutas em fevereiro, quando mostramos como Adriano dizia que “se fodia” por ser amigo do presidente da República, e em março, quando detalhamos a briga pelo espólio deixado pelo ex-caveira. As referências a “Jair” e “cara da casa de vidro” constam em novos documentos recebidos pela reportagem, que, em conjunto com as escutas anteriores, permitem entender a amplitude das relações do miliciano e da rede que lhe deu apoio no período em que passou foragido. Adriano da Nóbrega fugia da justiça desde janeiro de 2019, quando o Ministério Público do Rio pediu a sua prisão, acusando-o de chefiar a milícia Escritório do Crime, especializada em assassinatos por encomenda. Ex-integrante da elite do batalhão de elite

Reinaldo

Forbes: mundo sem Eike teria 1 bilionário com implante a menos @Reinaldo_Cruz @Assuntosdegoias @QB_7

O bilionário brasileiro Eike Batista é um dos personagens utilizados pela revista americana Forbes em um anúncio do lançamento da publicação no Brasil, que deve entrar em circulação no próximo mês de junho. A propaganda da revista - famosa por listar as pessoas mais ricas e influente do mundo - sugere como seria o mundo caso os bilionários não existissem.
Segundo a campanha, criada pela agência Ogilvy Brasil, sem Eike Batista o mundo perderia 20 mil empregos, 15 mil barris de petróleo por dia, R$ 23 milhões para a Olímpiada do Rio de Janeiro, R$ 109 milhões em projetos sociais, e R$ 28 bilhões que seriam injetados na economia do Brasil. Além disso, de acordo com o anúncio, o mundo teria um bilionário a menos com implante de cabelo.

Fonte: Terra

Comentários

Questão