AVON foi a primeira a fazer de Juliette sua Embaixadora #olhadenovo

Em Maio a campeã do ‘Big Brother Brasil 21′, Juliette Freire, de 31 anos, se tornou Embaixadora da marca Avon. Era o primeiro contrato dela pós reality show . Ela ainda estava se adaptando e comemorando o seu sucesso avassalador de engajamento.  O calendário marcava a data de 17 de Maio quando a marca de cosméticos Avon fez o anuncio que deixou os cactos eufóricos com a conquista da maquiadora paraibana, assim Juliette se tornou a nova estrela das campanhas publicitárias da marca. #EPJuliette, #Bença, #Doce, #DiferençaMara, #Vixequegostoso, #Benzim, #SeiLa #JulietteFreire, #juliettenaamericanas, #avonliette, #juliettenogloboplay, #HAVAINASDEJULIETTE, #JulietteELOccitane, #ACeADeJuliette, #BohemiadaJuliette,#juliettenaloccitaneaubresil, #BohemiadaJuliette, #JulietteNoHugoGloss, #BBB21, #TeamJuliette, #JuliettenaSAMSUNG, #JuliettenaSeara #TemporadaJulietteNoTVZ, #JuliettenaEstacio, #juliette, #MPN, #JulietteCriadora, #TVZJULIETTE, #JuliettenoMusicaBoa

Reinaldo

Após falar em vergonha,Pelé vira embaixador da Copa e pede voto de confiança @Reinaldo_Cruz http://yfrog.com/kicwup @N92JR

Depois de dizer que "o Brasil corre um grande risco de se envergonhar se não fizer uma boa Copa", Pelé recebeu nesta terça-feira da presidente Dilma Rousseff o título de embaixador honorário da Copa de 2014. Segundo o ministro Orlando Silva (Esporte), a presidente assinou um decreto criando a figura do embaixador da Copa. O ministro disse que Pelé terá poderá dar orientações ao governo sobre a Copa, representar o país em eventos e participar das interlocuções com os demais países participantes da Copa e também com a Fifa. "Eu não poderia deixar de aceitar esse convite da nossa presidenta. Eu já faço isso desde quando nasci, desde a primeira Copa eu defendo e faço a promoção do Brasil. É uma responsabilidade muito grande", disse. A presidente Dilma Roussef posa para foto ao lado do ex-jogador Pelé, em Brasília Pelé citou indiretamente as críticas que o país tem recebido por problemas e atrasos nas obras da Copa, mas pediu confiança aos brasileiros. Em fevereiro, o ex-jogador criticou o andamento das obras para o Mundial de 2014. "O Brasil corre um grande risco de se envergonhar se não fizer uma boa Copa. Os principais problemas são a comunicação e os aeroportos. O Brasil tem a obrigação de fazer uma boa Copa", afirmou, na ocasião. "[O atraso nas obras] não é só assunto de brasileiros. Conversei com o pessoal do Platini [presidente da Uefa] e eles também estão preocupados." Nesta terça, o ex-atleta pediu um voto de confiança. "Eu gostaria de pedir para todo o povo brasileiro que acreditasse porque estava meio confuso, meio em dúvida alguns problemas que nós tivemos aqui e que a gente sabe ainda das condições, mas que podemos acreditar porque a presidente disse que vai fazer todo o esforço e espero que a gente entregue bem essa Copa do Mundo". E completou: "Depois de todo o trabalho que fizemos para conseguir essa Copa acho que a gente também tem obrigação de fazer uma boa administração. Agora essa administração será feita com todos os brasileiros, com 190 milhões de brasileiros e todos ficaremos orgulhosos de entregar bem essa Copa." Pelé disse que o futebol ajudou o Brasil a ser reconhecido. "Quando cheguei na Suécia em 58 ninguém sabia onde era Brasil, a bandeira brasileira era mal feita e nós enaltecemos o nome do Brasil, fizemos com que o mundo conhecesse o Brasil e independentemente da parte de futebol". O ministro disse que a escolha de Pelé é um reconhecimento. "É uma homenagem ao Pelé por tudo que ele fez e faz pelo esporte, pelo Brasil. A presidente acredita que pela força da imagem do pela historia do Pelé ele seria a melhor face da Copa de 2014". URUGUAI Após o encontro com a presidente, Pelé pediu para a final do evento esportivo revanche entre a seleção brasileira e a uruguaia-- sendo que na Copa de 1950, Uruguai conquistou seu segundo campeonato mundial, derrotando na final o Brasil. Questionado se o desempenho da seleção uruguaia na Copa América deve preocupar os brasileiros, Pelé disse que não. "Eu não temo [Uruguai] e acho que devia ter essa revanche para a gente ganhar", disse o jogador. Fonte Folha de S. Paulo

Comentários

Questão