Comparsas do miliciano Adriano da Nóbrega recorreram a Jair Bolsonaro, diz The Intercept

Ligações perigosas apontam para relações estreitas entre comparsas do miliciano Adriano da Nóbrega e o Presidente da República, a matéria intitulada o "O cara da casa de vidro" traz dados que levantam suspeitas sobre Jair Bolsonaro.   O Intercept já havia reportado sobre as escutas em fevereiro, quando mostramos como Adriano dizia que “se fodia” por ser amigo do presidente da República, e em março, quando detalhamos a briga pelo espólio deixado pelo ex-caveira. As referências a “Jair” e “cara da casa de vidro” constam em novos documentos recebidos pela reportagem, que, em conjunto com as escutas anteriores, permitem entender a amplitude das relações do miliciano e da rede que lhe deu apoio no período em que passou foragido. Adriano da Nóbrega fugia da justiça desde janeiro de 2019, quando o Ministério Público do Rio pediu a sua prisão, acusando-o de chefiar a milícia Escritório do Crime, especializada em assassinatos por encomenda. Ex-integrante da elite do batalhão de elite

Reinaldo

Vila Nova x Barueri, Terça, às 19h30 #QUESTÃOBRASIL http://youtu.be/IrZL06QgbkU @Reinaldo_Cruz @assuntodegoias @_atletico_Pr

A partida começou em ritmo lento em Goiânia. O Vila Nova tinha mais posse de bola e ditava o ritmo de jogo, mas não conseguia chegar com perigo ao gol do Náutico. O primeiro tempo teve poucos lances de emoção e os goleiros praticamente não trabalharam. Fazendo campanha irregular, o Vila Nova, após empate com o Naútico fica na 12.ª colocação com 15 pontos, estando mais perto da zona de rebaixamento do que do G-4, o grupo de acesso. O Náutico, por sua vez, perdeu a chance de encostar na zona de classificação e ocupa a sétima posição, com 20 pontos.

Comentários

Questão