BBB21 gerou mais de 6 milhões de tweets em apenas uma noite

Além da boa audiência na televisão, a estreia do BBB21 também foi um fenômeno nas redes sociais . O reality show da Globo conseguiu bater a marca de 6 milhões e 1oo mil tweets em sua primeira noite, marca mais de cinco vezes superior ao registrado pela temporada anterior, que atingiu 1.100.000 comentários. O levantamento foi divulgado pelo Twitter, que levou em consideração todas as publicações feitas entre meia-noite de segunda-feira (25) e 11h de terça-feira (26).  De acordo com a plataforma, a maior parte das publicações faziam referência ao cantor Fiuk. Ele foi seguido no top 5 de menções da primeira noite pelo rapper Projota, a advogada Juliette, a atriz Carla Diaz e a youtuber Viih Tube.  O momento mais comentado da estreia do reality show foi o flerte do filho de Fábio Jr. com a paraibana — ambos estão confinados em um local a parte, ao lado de outros quatro brothers, pois ganharam imunidade na primeira semana. O segundo momento mais comentado da noite, de acordo com a rede soc

Reinaldo

Gyn Eletro AVenida T 63 nº2069 Jardim América Telefone (62) 3954-9600 @Reinaldo_Cruz @Questao_Brasil @Copaflavios @Copa_aespl @BUG_SPL @Soccer_Brasil

OAB critica indiciamento de repórter pela Polícia Federal O presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Ophir Cavalcante, afirmou nesta quinta-feira que o indiciamento do repórter Allan de Abreu, do "Diário da Região", pela Polícia Federal se trata de cerceamento da liberdade de imprensa. Em nota, Cavalvante disse que "a partir do momento em que chega a notícia nas mãos do jornalista, ele tem o dever de divulgar". Ainda de acordo com ele, é inadmissível "qualquer cerceamento à liberdade de expressão e de informação, nem a pretexto de se defender a intimidade, a honra e a vida privada das pessoas". Ele destacou que o STF (Supremo Tribunal Federal) entendeu que, dentro dos princípios constitucionais, o direito à informação se sobrepõe ao direito à intimidade, à vida privada e à honra. "Isso acontece porque a Constituição, no seu artigo 220, diz que a liberdade de imprensa, de expressão e de pensamento é plena, não podendo sofrer qualquer limitação", afirmou. Para Cavalcante, já existe penalização a jornalistas que, ao divulgarem uma informação, atinjam a honra e a intimidade de outras pessoas. "O jornalista, ainda que o processo esteja sob sigilo, responde civil e criminalmente por esses atos, de forma que não se pode impedir previamente que a imprensa divulgue qualquer informação", disse. Gyn Eletro AVenida T 63 nº2069 Jardim América Telefone (62) 3954-9600

Comentários

Questão