Comparsas do miliciano Adriano da Nóbrega recorreram a Jair Bolsonaro, diz The Intercept

Ligações perigosas apontam para relações estreitas entre comparsas do miliciano Adriano da Nóbrega e o Presidente da República, a matéria intitulada o "O cara da casa de vidro" traz dados que levantam suspeitas sobre Jair Bolsonaro.   O Intercept já havia reportado sobre as escutas em fevereiro, quando mostramos como Adriano dizia que “se fodia” por ser amigo do presidente da República, e em março, quando detalhamos a briga pelo espólio deixado pelo ex-caveira. As referências a “Jair” e “cara da casa de vidro” constam em novos documentos recebidos pela reportagem, que, em conjunto com as escutas anteriores, permitem entender a amplitude das relações do miliciano e da rede que lhe deu apoio no período em que passou foragido. Adriano da Nóbrega fugia da justiça desde janeiro de 2019, quando o Ministério Público do Rio pediu a sua prisão, acusando-o de chefiar a milícia Escritório do Crime, especializada em assassinatos por encomenda. Ex-integrante da elite do batalhão de elite

Reinaldo

Após protesto,CNN retira termo 'pequeno' do Timão @cartabrasil http://t.co/0w9ZJDr @Reinaldo_Cruz @Questao_Brasil #SPL

A revolta da torcida corintiana deu resultado e a rede americana CNN apagou de uma reportagem publicada nesta segunda-feira, em seu site oficial, a palavra "pequeno" para se referir ao clube do Parque São Jorge. Os alvinegros chegaram a lotar a caixa de comentários da página, além de emplacar a hasthtag #corinthiansbiggerthancnn (Corinthians maior que a CNN) entre os assuntos mais comentados do Twitter mundial. No artigo, o jornalista Fareed Zakaria questionava se haveria perigo de a economia brasileira superaquecer. Em dado momento, citou o interesse do Corinthians em contratar o atacante argentino Carlitos Tevez, do Manchester City, da Inglaterra.

Comentários

Questão