Fórmula 1 ou Fórmula Mercedes? Hamilton vence GP da Estíria e fica a seis vitórias de igualar Schumacher

Vivemos uma época em que a velocidade das informações são tão rápidas e avassaladoras quanto uma tomada de tempo para a largada de um Grande Prêmio. Muitos jovens nem se lembram da grandeza de lendas que passaram pelo paddock e escreveram nas pistas seus nomes na história do automobilismo mundial. Falar de Juan Manuel Fangio, Emerson Fittipaldi, Niki Lauda, Alan Prost ou Nelson Piquet então, seria para muita gente algo de outro mundo. Ayrton Senna ocupa um lugar especial no coração dos aficionados por Fórmula 1, mas em termos de números é Michael Schumacher o maior de todos, seguido bem de perto pelo britânico Lewis Hamilton. É a frieza dos números, e dizem por ai que eles não mentem jamais, que pode colocar o atual piloto da Mercedes no topo da lista dos melhores de todos os tempos. O ano de 2020 é atípico, pode atrasar a quebra dos recordes de Shumi, mas não há dúvidas que Hamilton vai pulverizar todas as marcas da F1 nos próximos dois anos. Com a Mercedes absoluta nas pistas, Lewis Ha…

Tudo calmo no Fla @Reinaldo_Cruz @Questao_Brasil @cartabrasil @soccer_brasil @Assuntodegoias #ASBUG @fintasedribles @Blogdozurc

A equipe venceu, mas não convenceu. E isso é fato E apesar da goleada, o técnico Vanderlei Luxemburgo disse que o bom rendimento na partida contra o Atlético-MG foi fruto da calma estabelecida dentro do grupo. "Não é uma vitória para mostrar nada para ninguém. É uma vitória de quem estava jogando bem e que sabia o que estava fazendo. Tem muita coisa que fica na parte externa. Na parte interna, tem muita coisa acontecendo com calma", afirmou o treinador após a partida. "A função dos críticos é diferente da nossa. Vocês criticam e a gente mantém a calma para analisar e tomar decisões", completou. Sobre as cobranças em cima de Ronaldinho e o bom rendimento dele em campo contra o Atlético-MG, Luxemburgo afirmou que o próprio jogador é quem buscou recuperar o equilíbrio.

Comentários